Toxicomania


1 INTRODUÇÃO

Toxicomania, estado psicológico e, às vezes, físico, caracterizado pela necessidade compulsiva de consumir um fármaco para experimentar seus efeitos psicológicos. A toxicomania é uma forma grave de dependência, na qual costuma registrar-se ainda uma dependência física comprovada. Isso significa que o tóxico provocou certas alterações fisiológicas no organismo, como demonstra o surgimento do fenômeno da tolerância (quando são necessárias doses cada vez mais elevadas para conseguir o mesmo efeito), ou da síndrome de abstinência, ao desaparecer os efeitos. A dependência psicológica, ou hábito, consiste em uma forte compulsão para o consumo da substância, embora não se desenvolva síndrome de abstinência.

2 OPIÁCEOS

Incluem os derivados do ópio, como a morfina, a heroína e os substitutos sintéticos, como a metadona. Têm intensa capacidade de provocar toxicomania. Os sintomas de abstinência incluem tremor nas pernas, ansiedade, insônia, náuseas, sudorese, câimbras, vômitos, diarréia e febre.

3 SEDATIVOS HIPNÓTICOS

Os barbitúricos são os fármacos dessa categoria com maior capacidade de induzir a toxicomania. Têm efeitos semelhantes aos do álcool e provocam, como este, intensa dependência física.

4 ESTIMULANTES

Os estimulantes cujo uso abusivo é mais difundido são a cocaína e a família das anfetaminas. O uso excessivo dessas substâncias é responsável por um grande número de alterações fisiológicas e psicológicas. O crack é um tipo de cocaína sintética, com capacidade intensa de produzir toxicomania. Tanto a cocaína como as anfetaminas, consumidas durante períodos prolongados, podem provocar uma psicose similar à esquizofrenia aguda.

Uma droga sintética, o 3,4-metilenodioxianfetamina, também conhecido como êxtase, provoca no consumidor uma intensa sensação de bem-estar e de aumento de energia. Seus efeitos adversos incluem sensação de mal-estar geral, perda de controle sobre si mesmo e perda de memória.

5 ALUCINÓGENOS

Entre os mais utilizados, destacam-se o ácido lisérgico de dietilamida, ou LSD, e a mescalina, um derivado do cacto do peiote.

A fenciclidina ou PCP, cujo nome vulgar é pó-de-anjo, provoca distanciamento e diminuição da sensibilidade à dor.

6 CANNABIS

Da planta Cannabis sativa, derivam tanto a maconha quanto o haxixe, que têm efeitos semelhantes: provocam relaxamento, aceleração do ritmo cardíaco, alteração da percepção do tempo e intensificação dos sentidos.

7 INALANTES

Nessa categoria estão certas substâncias que não são consideradas drogas, como a cola, os solventes e os aerossóis. A maioria das substâncias inaladas com intenção de conseguir um efeito psicológico tem uma ação depressora sobre o sistema nervoso central.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Como funciona o pensamento conceitual

Significado dos Dias da Semana

Chave de Ativação do Nero 8