Ombro



Ombro, região súpero-lateral do tronco dos primatas, na qual nascem as extremidades superiores (os braços).

Seu esqueleto inclui a omoplata, a extremidade externa da clavícula e a extremidade superior do úmero. A clavícula, pela parte da frente, e a omoplata, pela parte de trás, formam a cintura escapular. Esses ossos articulam-se entre si na articulação acromioclavicular, que é reforçada por ligamentos acromioclaviculares e coracoclaviculares. O úmero se articula com a omoplata na articulação glenoumeral.

A luxação de ombro é a luxação glenoumeral. Essa articulação é reforçada pela roda glenóidea e a cápsula articular. Quando esses reforços sofrem um rompimento ou cicatrizam frouxamente, produz-se uma luxação recidivante (ou seja, que se repete, inclusive com traumatismos mínimos), para a qual é necessário tratamento cirúrgico.

A articulação glenoumeral é rodeada pelo manguito dos rotadores do úmero, conjunto de tendões dos músculos subescapular (anterior), supra-espinhoso (superior), infra-espinhoso e redondos menor e maior (posteriores), que são muito sujeitos a inflamações crônicas (tais como tendinites, síndrome de ombro doloroso e ombro bloqueado ou gelado), e também a rupturas espontâneas e traumáticas. O úmero, além disso, é movido pelos potentes músculos deltóides (elevador), dorsal largo e peitoral maior (aproximadores, que elevam o tronco quando está imóvel o membro superior). A omoplata é controlada pelo trapézio (elevador), rombóide e elevador da escápula.

Abaixo da articulação glenoumeral encontra-se o oco da axila, região de passagem dos vasos (artéria e veia axilares) e nervos da extremidade superior.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Como funciona o pensamento conceitual

Significado dos Dias da Semana

Chave de Ativação do Nero 8